Kali é uma das divindades mais cultuadas do Hinduísmo. É a representação da natureza em seus três aspectos: criação, preservação e aniquilação. É também, a união dos opostos que tornam-se complementares.

Do útero, onde nenhum raio de luz jamais chega, surge a vida. Da mesma forma, das trevas nasce a luz, e quanto mais profunda a escuridão, mais brilhante será essa luz. Assim, a alegria é a face brilhante do sofrimento, o filho que nasce dela.

Ela aparece para dizer que é hora de perdermos o medo da morte, seja ela física, de um relacionamento, de um emprego, de um bem material, de um jeito de ser há muito tempo cristalizado, para transformar o velho em novo. Nossos medos têm nos impedido de viver plenamente, portanto o melhor a fazer é enfrentá-los e transformá-los, reconhecendo que fazem parte de nossa evolução.

Através de Vivências Bioenergéticas, Meditações e muita Katharsis (purificação da vontade para receber o divino), vamos transformando o stress, as tensões, preocupações, medos, fobias, e quaisquer outros sentimentos ou emoções que estejam nos afligindo, em uma experiência libertadora, libertando o corpo, a mente e o sentir.

Kali é a manifestação e símbolo dessa energia transformadora presente nas meditações e vivências bio-energéticas.